LOGIN:   SENHA:      
   
  Voltar
 
Análise histomorfométrica do processo de reparo de Cavidades cirúrgicas preenchidas com osso inorgânico de Origem bovina (bonefill®) em tíbia de ratos.

Tárik Ocon Braga Polo
Daniela Ponzoni
Alessandra Marcondes Aranega
Paulo Sergio Perri de Carvalho

Resumo
Na Odontologia inúmeras são as situações onde as perdas ósseas prejudicam a função dental, como nas periodontites, ou até mesmo impedem a reabilitação bucal, como é o caso de pacientes desdentados que necessitam de reabilitação com implantes osseointegrados, mas não possuem quantidade ou qualidade óssea adequadas. Boyne, em 19711, foi o primeiro autor a estudar a aplicação dos enxertos ósseos por razões protéticas. Com o tempo, o mesmo tipo de enxerto passou a ser utilizado de forma regular para que fosse possibilitada a instalação de implantes osteointegrados (Buck 1994; Buser et al.,1995). 2,3.
Dentre os materiais inorgânicos, atualmente destaca-se o de origem xenogênica, pois se trata de um material obtido de uma fonte abundante, de custo acessível, sendo também seguro quanto ao risco de transmissão de doenças, e o processo de tratamento a qual é submetido elimina qualquer risco de resposta imunogênica (Wenz et al., 2001).4 Os materiais de origem bovina constituem materiais biocompatíveis e que devem ser estudados objetivando conhecer melhor suas propriedades biológicas, já que são largamente utilizados na clínica.

Para visualizar o arquivos completo em PDF clique aqui.
 
Blog da BionnovationTwitter Facebook